São Paulo
19º

Medicamentos e Farmácia - Medicamentos

› Tarjas dos medicamentos e receita médica
As tarjas nas embalagens servem para informar a classificação dos medicamentos conforme seu grau de risco e também a necessidade ou não de receita médica para adquiri-los. Conheça a diferença entre a tarja vermelha, preta e os não tarjados:

Tarja Vermelha – só podem ser vendidos com receita e apresentam na embalagem o texto “VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA”. Podem causar reações adversas e efeitos nocivos à saúde.

Tarja Vermelha com retenção da receita - são os medicamentos controlados que contêm na embalagem a frase “VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA – SÓ PODE SER VENDIDO COM RETENÇÃO DA RECEITA”.

Tarja Preta - assim como os medicamentos de tarja vermelha, só podem ser vendidos com receituário médico especial e uma das vias fica retida no estabelecimento que comercializa o produto. São medicamentos altamente controlados, possuem ação sedativa e seu uso pode causar dependência.

Medicamentos sem Tarja - são os Medicamentos Isento de Prescrição (os MIPs ou OTCs – Over The Counter, como são conhecidos internacionalmente) que não necessitam de receita médica para serem adquiridos. Mesmo utilizados para pequenos sintomas estes medicamentos também podem causar reações adversas, por isso solicite sempre a orientação de um farmacêutico ou médico antes de usá-los.

Além dessas tarjas, alguns medicamentos podem apresentar ainda uma tarja amarela que significa se tratar de um produto genérico, que também é sinalizado pela letra “G” e a inscrição “Medicamento Genérico”.

Atenção! Não use medicamentos e não interrompa sua utilização sem comunicar seu médico.

› Antibióticos só com receita médica
Antibióticos possuem substâncias específicas para eliminar ou inibir a multiplicação de bactérias que causam danos ou doenças ao organismo e seu uso incorreto pode levar ao desenvolvimento de bactérias resistentes aos efeitos do medicamento. Dessa forma, a compra do produto só pode ser realizada mediante prescrição médica feita em duas vias – uma será retida pelo estabelecimento e a outra será entregue carimbada ao paciente.

Além disso, o prazo para aquisição do antibiótico é de dez dias contando a data de emissão da receita e as farmácias e drogarias deverão registrar e informar ao Sistema Nacional de Gerenciamento e Produtos Controlados (SNGPC) dados da venda como quantidade, nome do médico que fez a prescrição e identificação do usuário.

Essas medidas fazem parte da Resolução RDC 44/2010 e têm como objetivo combater a automedicação e o uso indiscriminado de antibióticos pela população. Lembre-se: nunca utilize antibióticos sem receita e indicação do médico e siga rigorosamente a prescrição estipulada por ele.

Voltar